© 2019 por Inspirando Jovens de Sucesso - Embaixadores IJS -  Youth Assembly - ONU 2019

Victor Richa

Formado em engenharia mecânica pela FACENS, Sorocaba/SP. Realizei mobilidade acadêmica na Universidade de Lleida Espanha durante 1 ano. Trabalhei em empresas nacionais e internacionais nos setores de infraestrutura, automatização e automotivo.

Motivo e expectativas

Primeiramente gostaria de participar pela visão e propósito que a ONU tem, que se assemelha muito ao meu modo de pensar, ou seja, reafirmar a fé nos direitos fundamentais do homem, na dignidade e no valor do ser humano, na igualdade de direitos dos homens e das mulheres, assim como das nações grandes e pequenas, e a estabelecer condições sob as quais a justiça e o respeito às obrigações decorrentes de tratados e de outras fontes de direito internacional possam ser mantidos, e a promover o progresso social e melhores condições de vida dentro de uma liberdade mais ampla. Acredito que participar da 23ª The Youth Assembly, será uma grande oportunidade para conhecer pessoas de todo o mundo que realizam trabalhos similares e divergentes aos meus, gerar novos contatos para possíveis oportunidades no Brasil e no mundo, trazer investimentos para as causas as quais me engajei, ou seja, investimentos para áreas de educação, sáude e bem estar, indústrias, infraestruturas e inovações. Após minha participação na The Youth Assembly, quero trazer todo conhecimento e aprendizagens que tive na conferência, para implementação nos segmentos aos quais estou trabalhando. Pretendo trazer investimentos nacionais e internacionais para ampliação dos setores educacionais e de infraestruturas nas cidades subdesenvolvidas. Em relação à inovações, pretendo realizar um acordo entre indústrias e universidades para maior valorização e investimentos financeiro com pesquisas. Referente ao bem-estar e saúde, objetivo 3, quero trazer investidores para ampliação e melhores condições para as clínicas de dependentes químicos e paralelamente investir com propagadas e informações relacionadas ao tema em escolas e universidades.

ODS 3 Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades

Em relação a ODS 3, saúde e bem-estar, o motivo da minha escolha referente a este tema foi devido que desde criança, quando ainda morava em Cantagalo, uma pequena cidade de 20 mil habitantes no interior no Rio de Janeiro, meus pais realizavam trabalhos voluntários com diversas comunidades carentes daquela cidade. O trabalho deles consistia em ensinar para as crianças carentes das comunidades locais, atividades manuais como: corte e costura, pintura, oficinas para elaboração de colares e pulseiras e paralelamente informá-las e alerta-las sobre as consequências do uso e comercialização de drogas ilícitas, como maconha, cocaína, crack, heroína entre outras. Dentro deste mesmo projeto social em Cantagalo/RJ, também era servido um café da manhã às crianças, que por muitas vezes era a única refeição do dia, os alimentos desta refeição eram doados por colaboradores do projeto e comerciantes da cidade. Já morando em Sorocaba/SP, realizei um trabalho social sem fins lucrativos, com uma clínica para recuperação de dependentes químicos, SOS Vida, que foi fundada em março de 1996, na cidade de Araçoiaba da Serra. Por esta clínica, já se passaram milhares de homens e mulheres e a grande maioria destes dependentes que passaram por tratamento, foram recuperados dos vícios da droga e/ou álcool. Todo o processo de tratamento tem duração média de 9 meses, no qual o paciente muda seu hábito de vida, recuperando sua saúde física, saúde emocional, bem-estar social e vida profissional. Para que as pessoas possam ter uma noção do que descrevi acima, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o consumo de drogas resulta em 500 mil mortes a cada ano. E esse número cresce ainda mais se forem considerados os homicídios decorrentes do tráfico. Diante desse cenário, a guerra às drogas deixou de ser um problema estritamente criminal e se transformou em caso de saúde pública. E é em cima desta causa que quero trazer soluções, cases de sucesso, informações para os jovens brasileiros que estão no mundo das drogas ou os que ainda pensam em entrar.

ODS 4 Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos

Dentre os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável, um dos que pra mim tem maior relevância, é a ODS 4, no qual trata-se da educação de qualidade. Desde criança meus pais sempre me cobraram muito resultados positivos na escola e em cursos de línguas, mas por ainda eu ser uma criança eu não tinha toda essa dedicação e entendimento que meus pais esperavam. Iniciei minha graduação em engenharia mecânica e sempre me cobrei para ter resultados satisfatórios na universidade, no meu último ano cursando engenharia mecânica na Facens, fui um dos alunos selecionados para participar do projeto “Facens sem Fronteiras”, esse projeto, trata-se de uma mobilidade acadêmica em diversos países do mundo, escolhi a Universidade de Lleida, na Espanha para eu poder cursar meu intercâmbio acadêmico. Morei na Espanha durante 10 meses e ali eu pude perceber o quão importante era a cobrança que meus pais faziam a mim ainda quando criança. Vi a importância de se falar mais de um idioma, a importância de ser um aluno dedicado e focado, a importância de saber e conhecer novas culturas, línguas, histórias e se colocarmos isso em um papel, veremos que tudo se inicia na educação. Foi a partir de então que comecei a conversar, dar dicas e exemplos reais da importância da dedicação nos estudos. No Brasil, o termo educação ainda é muito supérfluo, de um grosso modo, a palavra entra por um ouvido e sai pelo outro, e é contra isso que quero trabalhar, quero mostrar aos jovens e crianças do país que eles tem sim a capacidade, oportunidade e direito, se quiserem, da educação de qualidade, de ir além de sua realidade, de realmente fazerem a diferença onde estão. Foi pensando assim, que em conjunto com uma universidade carioca, estamos com o objetivo de levar o ensino superior (MBA, Pós-graduação, Graduação) para cidades subdesenvolvidas da região metropolitana de Sorocaba, podendo impactar um número de 27 cidades em média, no qual o número de universidades é escasso e consequentemente, agregando conhecimento e gerando novas oportunidades para a população local.

ODS 9 Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação

E por fim, minha última escolha e uma das que considero mais relevantes ODS´s. A ODS 9, tem como tema: Indústria, Inovação e Infraestrutura. Desde criança sempre tive meu pai como um exemplo a ser seguido, seja pelo caráter, educação ou profissionalismo e como meu pai é engenheiro civil, ele sempre me mostrou os caminhos que estavam por vir na engenharia, cresci ouvindo isso e vendo a dedicação dele ao trabalho, tudo isso, me influenciou positivamente para que eu escolhesse a engenharia para cursar, optei pela mecânica, por ser apaixonado por veículos, pelas máquinas automatizadas, pelo processo de fabricação entre outros pontos que me fizeram optar por este curso. Durante minha graduação na Facens, uma das melhores universidades do país para cursar engenharia, tive a oportunidade de trabalhar e vivenciar o dia a dia de 3 multinacionais. Trabalhei por 2 anos como estagiário no setor de compras produtivas na ZF do Brasil, uma multinacional alemã do setor automotivo, que busca em seus produtos implementar inovações tecnológicas. A transmissão automatizada para veículos pesados como caminhões, é um dos exemplos de produto que tive a oportunidade de participar nos projetos, alterações até que fosse lançado, esta transmissão consiste em menor consumo de combustível, menor peso e aumento da segurança para o motorista do próprio caminhão e demais motoristas. Também em relação a ODS 9, trabalhei por 9 meses como estagiário em administração na maior companhia de infraestrutura rodoviária do Brasil, a CCR. Fiz parte da equipe de manutenção das rodovias paulistas e de novas obras rodoviárias, fui responsável pela liberação de materiais e das equipes que eram enviadas a campo para realização das tarefas diárias. Durante meu intercâmbio acadêmico por 10 meses na cidade de Lleida, Espanha tive a oportunidade de trabalhar em uma empresa local, TMIPAL, fabricante de máquinas para o segmento alimentício, construção, químico e de reciclagem. Trabalhei no setor de pós-vendas e fui responsável por peças e materiais nos novos projetos de máquinas automatizadas, como enfardadoras, paletizadoras e ensacadoras aplicando as tecnologias de fabricação mais atuais, inovações no que se refere de mais avançado no segmento de automatização industrial.